“Já que…”

O terror da reeducação alimentar, da mudança de estilo de vida, do peso perdido e mantido tem nome e sobrenome:

Já Que! 

⏩ Você conhece?

Funciona assim:
⏩ Já que eu vou comer pizza, vou tomar cerveja também. .
⏩ Já que ontem comi pizza e tomei cerveja nem vou fazer meu café da manhã. Chegando no serviço como alguma coisa. .
⏩ Já que não tô fazendo nada direito nem vou fazer atividade física! 🤦🏻‍♀️

E aí? Você conhece o Já Que?

Queridos! Exceções são completamente normais! Fuja dessa ideia besta do 8 ou 80!

Uma exceção isolada não atrapalha absolutamente nada. Enquanto que alguns dias de exceção sim, atrapalham bastante! Sua saúde, resultados e a sua motivação!

Açúcar X Colesterol

Coloquei no último post um vídeo com várias dicas práticas para reduzir os níveis de colesterol através da alimentação.

Mas faltou falar de um ponto super importante: a relação entre o consumo excessivo de açúcar e o aumento do colesterol.

⏩ Você sabia dessa relação?

Hoje sabemos que o açúcar tem uma ação ainda maior no aumento do colesterol que o consumo do próprio colesterol.

O que acontece é que excesso de açúcar gera liberação excessiva de insulina que tem como ação acumular esse açúcar na forma de… gordura!
Gordura corporal (ganho de peso) e gordura – colesterol (e triglicerídeos, vale ressaltar!).

Por isso nada adianta você restringir o consumo de toda e qualquer fonte de gorduras (aliás, nem deve!!) e abusar de açúcar no café, no biscoito, na geleia, no bolo… O mesmo vale para o consumo excessivo de carboidratos refinados de modo geral (pão branco, biscoito, macarrão, arroz branco…) já que o efeito é bastante similar ao do consumo do açúcar simples!

Se ainda ficou com dúvidas assiste ao vídeo e consulta com um nutri para melhores resultados! 😉😘

Chocolate

Quando eu pergunto no consultório sobre chocolate, a maioria – assim como eu – diz que AMA! Porém… frequentemente ocorre um exagero no consumo!
⏩É o seu caso também?


Lê e aplica essas dicas pra aproveitar o seu chocolate sem prejuízo:
✔️ Comece escolhendo um bom chocolate: 70% ou mais de cacau e com ingredientes mais simples. Nada de muitos aditivos e nomes estranhos.
Geralmente as melhores opções (em qualidade e sabor) vamos encontrar em lojas de produtos naturais.
Se o 70% ainda é amargo demais pra você, começa com as versões 50% cacau e vai aumentando… questão de adaptar o paladar!
✔️ Pratique o Mindful eating (já falei sobre esse tema aqui e tem vídeo no meu canal também… se você sofre com compulsão: assista!).

Ou seja: coma com bastante calma, realmente degustando e sentindo o sabor de cada pedacinho que coloca na boca.
Quem já “detonou” uma barra de chocolate inteira de uma vez sabe muito bem que essa barra não foi “curtida” né? Foi comida com pressa!
Aí além de exagerar na quantidade não houve aquele aproveitamento bom do chocolate, só com sensação boa e sem sentimentos de culpa e arrependimento. Entende a diferença?

✔️ E não menos importante: Se conheça! Se pra você é um hábito saudável e gostoso ter um belisco de um bom chocolate amargo início ou meio da tarde (como é por aqui) tá tudo ótimo! O chocolate amargo traz inclusive uma série de benefícios à saúde!

Mas… se você fica “agoniado” por ter chocolate, não sossega até acabar, fica pegando mais, mais um pouquinho, mais um pouquinho… Talvez seja melhor não ter! 🙈
Isso não quer dizer que você não vai consumir nunca. Mas não tendo conseguimos segurar o chocolate (ou outro doce) para os momentos de convívio social.

⏩ E por aí? Rola muito excesso de chocolate? Qual o seu preferido?
▶️ Compartilha com a gente também se tiver alguma dica pra não exagerar! 😬

Curva de crescimento

Eita… o meu “desabafo” ontem no stories tendeu assunto por direct! 😂 Então mamães: bóra entender melhor a curva dos bebês?

 Ainda se dissemina (inclusive por alguns pediatras) que o normal e desejado é a criança estar na curva verde.

Mas afinal que raios de curva é essa? 🤔

 Essa curva utilizada nas consultas (geralmente se utilizam as curvas da OMS) considera um número X de crianças.
Por exemplo: temos 100 crianças saudáveis da mesma idade: aí os pesquisadores fazem a aferição de peso e altura dessas 100 crianças e distribuem assim, num gráfico de normalidade.

Vamos exemplificar com o peso. Se a criança está “no verde” (p50) significa que ela está no peso médio que as crianças estudadas tinham. Se ela está no p3, nesse exemplo, significa que há 2 crianças mais magras que ela e 97 mais pesadas. Se ela está no p97 o contrário: 2 crianças com mais peso e o restante com menos peso.

Estar longe da curva verde não significa muita coisa. Não significa que a criança está doente! Não deve ser essa a forma de avaliar saúde da criança!

O principal é observar se (de modo geral) a curva vai crescendo, ou seja, se a criança vai aumentando o peso e – principalmente! – a altura, mesmo que no ritmo dela.
E mais importante ainda: a criança está saudável? Ativa? Com o desenvolvimento dentro do esperado? 👍 Perfeito então!

Se o seu pediatra é “neura” demais com o peso, sugerindo com muita facilidade a inclusão de fórmula ou de “porcarias” na alimentação: troque de pediatra! 🙈

Um profissional tranquilizador, empático e que avalie realmente o que pode estar acontecendo (se realmente houver uma alteração) através de conversa e exames se necessário – faz toda a diferença na sua tranquilidade e mesmo na manutenção de amamentação por período prolongado e por uma introdução alimentar saudável e respeitosa!
Nesse sentido um nutricionista infantil também é SUPER indicado!

Por aqui já me preocupei bastante com uma bebê sempre magrinha e comprida… mas sempre saudável e “subindo” nas curvas. A pediatra tranquilizadora ajudou bastante naquele começo de mãe de primeira viagem em que tudo é motivo pra preocupação! 🙈😂

E por aí? Também teve/tem preocupação com as curvas?

Como aprender a comer saladas?

Já atendi MUITAS pessoas falando que acham lindo ver as pessoas que amam saladas, que fazem um prato super lindo e colorido e comem no maior gosto… mas que esse não é o caso delas!
Você se identifica? hehe
Se for o seu caso vem ver o vídeo que gravei pra você! Depois me conta se as dicas te ajudaram a aprender de vez a comer mais saladas!

Ora-pro-nobis

Ontem recebi essas folhinhas junto aos meus orgânicos da semana.

Se trata de uma PANC (planta alimentícia não convencional), a ora-pro-nobis. Você conhece?

Essa planta ganhou fama por ser considerada uma fonte proteica, sendo inclusive divulgada como boa alternativa aos veganos e vegetarianos.
Porém, algumas análises (Unicamp, 2016) mostraram que a quantidade de proteína não é tão significativa: 2g de proteína em 100g de ora-pro-nobis. Ou seja: pouco!

Mas isso não significa que não seja uma planta saudável! É fonte de vitamina C, ferro e vitaminas do complexo B.

Procure utilizá-la cozida ou refogada para redução de componentes anti-nutricionais. Vale por exemplo: refogada (como fazemos com a couve), em sopas, omeletes, pães e tortas caseiros… 😋

E você, já provou? Nos conta como você a utiliza!

Álcool na Amamentação

Tema polêmico à vista! Vamos falar de evidências e não de achismos? Afinal, pode álcool na amamentação?

De acordo com o Dr Carlos Gonzáles (pediatra que é uma das maiores autoridades em Amamentação), após o consumo de álcool, a mulher terá uma quantidade similar de álcool presente no sangue também no leite materno. Certo? Até porque é através do sangue que o álcool chega no leite materno.

No Brasil uma bebida é considerada não alcoólica quando possui menos de 0,5% de álcool.

Uma mãe que bebe 60ml de vodka (que tem 40% de álcool) terá um nível de álcool no sangue de cerca de 0,02%!
Isso falando de vodka. Uma cerveja tem cerca de 6% e o vinho cerca de 12% de álcool.

Portanto, uma mãe bebendo com moderação terá uma concentração de álcool no sangue e no leite de cerca de 0,05%: ainda bem abaixo do 0,5% da bebida não alcoólica!

Isso significa que quem amamenta pode beber como se não houvesse amanhã?

Não! Significa que uma mãe que amamenta pode, quando desejar, beber com moderação uma cerveja, um vinho ou um drink.

Ainda assim a recomendação é de aguardar o bebê completar pelo menos 3 meses de vida. E, se possível, aproveitar para beber um drink após a mamada, tentando dar algum intervalo (novamente: se possível!).

Sem peso na consciência. Sem preocupação se vai fazer mal para o bebê. Sem precisar abdicar de mais alguma coisa para ser mãe e amamentar. Com informação!

Quanto ao excesso: nesse caso, cuidado! Pode reduzir a produção e ejeção do leite materno.

Moderação é a palavra chave. Ok?

PS: marca uma mãe que amamenta. Informação é poder! 😉😘