Curva de crescimento

Eita… o meu “desabafo” ontem no stories tendeu assunto por direct! 😂 Então mamães: bóra entender melhor a curva dos bebês?

 Ainda se dissemina (inclusive por alguns pediatras) que o normal e desejado é a criança estar na curva verde.

Mas afinal que raios de curva é essa? 🤔

 Essa curva utilizada nas consultas (geralmente se utilizam as curvas da OMS) considera um número X de crianças.
Por exemplo: temos 100 crianças saudáveis da mesma idade: aí os pesquisadores fazem a aferição de peso e altura dessas 100 crianças e distribuem assim, num gráfico de normalidade.

Vamos exemplificar com o peso. Se a criança está “no verde” (p50) significa que ela está no peso médio que as crianças estudadas tinham. Se ela está no p3, nesse exemplo, significa que há 2 crianças mais magras que ela e 97 mais pesadas. Se ela está no p97 o contrário: 2 crianças com mais peso e o restante com menos peso.

Estar longe da curva verde não significa muita coisa. Não significa que a criança está doente! Não deve ser essa a forma de avaliar saúde da criança!

O principal é observar se (de modo geral) a curva vai crescendo, ou seja, se a criança vai aumentando o peso e – principalmente! – a altura, mesmo que no ritmo dela.
E mais importante ainda: a criança está saudável? Ativa? Com o desenvolvimento dentro do esperado? 👍 Perfeito então!

Se o seu pediatra é “neura” demais com o peso, sugerindo com muita facilidade a inclusão de fórmula ou de “porcarias” na alimentação: troque de pediatra! 🙈

Um profissional tranquilizador, empático e que avalie realmente o que pode estar acontecendo (se realmente houver uma alteração) através de conversa e exames se necessário – faz toda a diferença na sua tranquilidade e mesmo na manutenção de amamentação por período prolongado e por uma introdução alimentar saudável e respeitosa!
Nesse sentido um nutricionista infantil também é SUPER indicado!

Por aqui já me preocupei bastante com uma bebê sempre magrinha e comprida… mas sempre saudável e “subindo” nas curvas. A pediatra tranquilizadora ajudou bastante naquele começo de mãe de primeira viagem em que tudo é motivo pra preocupação! 🙈😂

E por aí? Também teve/tem preocupação com as curvas?

Antioxidantes

Ontem falei sobre a relação entre alimentação e acne e os principais alimentos causadores!

 Por outro lado, sabe uma boa forma de prevenir?
E não apenas prevenir acne, mas prevenir envelhecimento precoce e doenças bem mais sérias como diabetes, parkinson, Alzheimer…?

 Investir em alimentos com ação antioxidante!

Sim, frutas e saladas não são apenas uma fibra que tá ali pra te dar saciedade e ajudar a emagrecer!
Não adianta comer uma folhinha de alface e achar que tá ótimo!

Pra gente realmente ter o benefício de ação antioxidante e o teor de vitaminas e minerais desses alimentos devemos ter como objetivo comer uma bela porção de saladas/legumes (cerca de meio prato) diariamente no almoço e no jantar e ainda garantir cerca de 2 a 4 porções de frutas ao longo do dia!

✔️Quanto mais colorido melhor!
✔️Quanto mais variado melhor!
✔️ Quanto mais orgânicos melhor!

 Me conta: pra você esse nível e frequência de consumo de frutas e vegetais é fácil ou difícil?

Qual o melhor peixe?

Foto do peixe assado com legumes que rolou essa semana na Casa de Repouso onde trabalho pra ilustrar esse post e te fazer uma pergunta: qual o melhor peixe? Como escolher? 🤔

Há alguns anos se falava muito da importância em consumir atum, bacalhau, salmão…

Hoje sabemos que muitas vezes a procedência desses peixes é duvidosa (salmão principalmente) e que por serem peixes grandes são peixes com maior contaminação por metais pesados, especialmente mercúrio.

Por isso, sabe qual o peixe mais saudável?

Os menores e que estão mais perto de você! Valorize os pescados da sua região! Aqueles que estão em sua época, frescos, melhor ainda!😉

E não custa lembrar também: peixe não é só frito viu? 🙄 Assado no forno sozinho se for um peixe maior (como anchova ou tainha) ou assar assim com legumes se for um peixe mais fino são ótimas alternativas!
E por aí, qual o peixe preferido?

Ora-pro-nobis

Ontem recebi essas folhinhas junto aos meus orgânicos da semana.

Se trata de uma PANC (planta alimentícia não convencional), a ora-pro-nobis. Você conhece?

Essa planta ganhou fama por ser considerada uma fonte proteica, sendo inclusive divulgada como boa alternativa aos veganos e vegetarianos.
Porém, algumas análises (Unicamp, 2016) mostraram que a quantidade de proteína não é tão significativa: 2g de proteína em 100g de ora-pro-nobis. Ou seja: pouco!

Mas isso não significa que não seja uma planta saudável! É fonte de vitamina C, ferro e vitaminas do complexo B.

Procure utilizá-la cozida ou refogada para redução de componentes anti-nutricionais. Vale por exemplo: refogada (como fazemos com a couve), em sopas, omeletes, pães e tortas caseiros… 😋

E você, já provou? Nos conta como você a utiliza!

Álcool na Amamentação

Tema polêmico à vista! Vamos falar de evidências e não de achismos? Afinal, pode álcool na amamentação?

De acordo com o Dr Carlos Gonzáles (pediatra que é uma das maiores autoridades em Amamentação), após o consumo de álcool, a mulher terá uma quantidade similar de álcool presente no sangue também no leite materno. Certo? Até porque é através do sangue que o álcool chega no leite materno.

No Brasil uma bebida é considerada não alcoólica quando possui menos de 0,5% de álcool.

Uma mãe que bebe 60ml de vodka (que tem 40% de álcool) terá um nível de álcool no sangue de cerca de 0,02%!
Isso falando de vodka. Uma cerveja tem cerca de 6% e o vinho cerca de 12% de álcool.

Portanto, uma mãe bebendo com moderação terá uma concentração de álcool no sangue e no leite de cerca de 0,05%: ainda bem abaixo do 0,5% da bebida não alcoólica!

Isso significa que quem amamenta pode beber como se não houvesse amanhã?

Não! Significa que uma mãe que amamenta pode, quando desejar, beber com moderação uma cerveja, um vinho ou um drink.

Ainda assim a recomendação é de aguardar o bebê completar pelo menos 3 meses de vida. E, se possível, aproveitar para beber um drink após a mamada, tentando dar algum intervalo (novamente: se possível!).

Sem peso na consciência. Sem preocupação se vai fazer mal para o bebê. Sem precisar abdicar de mais alguma coisa para ser mãe e amamentar. Com informação!

Quanto ao excesso: nesse caso, cuidado! Pode reduzir a produção e ejeção do leite materno.

Moderação é a palavra chave. Ok?

PS: marca uma mãe que amamenta. Informação é poder! 😉😘

Organização na Alimentação

Vejo diariamente muitas pessoas complicando o simples.

Comer saudável não precisa ser um cozinhar todos os dias milhões de coisas ou pagar super caro por pós e cápsulas importados.

Com alguma dose de organização na alimentação o processo se torna bem mais simples do que parece.

Por exemplo:
✔️ Fazer feira 1x/semana, higienizar tudo e deixar prontinho na geladeira. Se você já tem por exemplo 2 folhosos e tomate cereja, já tem alguma variedade pronta. Pode ainda adicionar um pepino ou rabanete (só cortar) ou cenoura ou beterraba (só ralar) ou – no ápice da disposição – refogar algo ou assar para dar um up nessa saladinha básica.

✔️ Cozinhou a mais? (O que eu sempre indico!) De modo geral vai ficar bom por uns 3 dias na geladeira ou 3 meses no freezer.

✔️ Algumas opções podem ainda ser congeladas cruas e ir direto do freezer pro forno. Ex: quibes, almôndegas e pães de queijo. Mais fresquinho ainda!

✔️ Sai cedo e é a maior correria lembrar de carregar alguma coisa pra comer? Organiza um dia antes! A noite pensa no que vai levar no dia seguinte e já separa tudo em 5 minutinhos.

 Juro que acredito que manter uma alimentação saudável é 20% motivação e 80% organização!

E por aí, qual a dica de organização mais te ajuda?

Psyllium

Você consome alimentos integrais, bebe bastante água e ainda assim o intestino é preguiçoso?

Uma das fibras mais efetivas pra ajudar no funcionamento intestinal é o psyllium! Conhece?

O psyllium é uma fibra extraída da semente de uma planta chamada Plantago ovata.

É super rico em fibras solúveis e insolúveis! Dessa forma além de ajudar no funcionamento intestinal contribui ainda pro controle da glicemia, do colesterol, promove saciedade e contribui para a perda de peso.

É super tranquilo de consumir. Não tem sabor! Pode ser acrescentado em receitas (bolos, panquecas, crepioca, feijão!) ou salpicado sobre frutas ou iogurte natural.
A indicação de quantidade varia… mas não abuse. Algo entre 1 colher de chá a 1 colher de sopa costuma ser o indicado. Peça orientações específicas ao seu nutricionista! 😉

É por aí, já experimentou?

Amamentação: minha experiência!

Hoje vim falar sobre amamentação. Mais precisamente sobre a minha experiência.

Quando eu estava grávida tinha mais medo de não conseguir amamentar do que do parto normal.
Ainda lembro de um sonho que tive na gestação: eu paria em pé, sozinha, na maior facilidade (ok… realidade não foi tão fácil. 😂 Mas deu certo!) e em seguida colocava a minha filha no peito e ela não pegava o peito! Ela não sabia como pegar e eu não sabia como ensinar.

E não é que a realidade foi bem parecida? Infelizmente! Minha filha tinha muita dificuldade em abocanhar o seio! A boca escorregava. Ela chorava. Eu chorava.
Acabei usando bico de silicone por uns 4 meses (devidamente orientada para tal), quando então conseguimos dar adeus para aquele plástico que não nos pertencia (mas que foi importantíssimo por um bom tempo) e a amamentação continuou cada vez melhor!

É claro que tivemos algumas fissuras, dores, ingurgitamento e 1 mastite.

Essas foram as minhas dificuldades. Muitas mães enfrentam outras. Muitas vezes bem piores!

E nesses momentos o apoio é fundamental!
O apoio médico tranquilizador, o apoio de uma consultora de amamentação, de uma fonoaudióloga (né @julinhamelo12 ❤️), o apoio do marido que busca água e faz comida, o apoio da mãe da mãe que ajuda na casa pra deixar a recém mãe se dedicar exclusivamente a essa tarefa nova, nobre e (inicialmente) difícil. A amamentação!

Que meu relato e outros tantos nessa semana de amamentação sejam mais um apoio pra quem amamenta ou quer amamentar. E especialmente: um reforço para que quem possa ajudar, ajude de fato! 😊😘

Chás: como aproveitar

Você está usando algum chá atualmente? Tem algum objetivo com ele, como acalmar, desinchar ou melhorar a digestão?

Então se liga nessas dicas:

 Via de regra temos maior efeito dos chás ao utilizar a ERVA. Isso porque nem sempre os sachês contém exclusivamente a parte da planta com maior ação. 
 Se for utilizar em sachê opte por boas marcas, preferencialmente orgânicos! Evite versões em lata/ caixa/pó. Muito raramente são boas ou razoáveis.
 Partes delicadas, como folhas, não precisam ser fervidas. Apenas manter em infusão com água aquecida até o ponto de pré fervura (quando começam a subir as bolinhas) por cerca de 5 minutos já promove extração máxima.
 Já partes mais rígidas como caules e raízes (ex: pau de canela, gengibre) devem ferver por cerca de 3-5 minutos.
 Existem estudos mostrando que várias plantas mantém a maior parte dos seus benefícios por até 12 horas. Portanto, pode ser uma alternativa preparar o chá pela manhã para beber ao longo do dia.
 Outra opção que traz boa extração e pode facilitar a rotina é fazer chá com água fria! Sim! A infusão da água quente por cinco minutos equivale a 2 horas de infusão em água fria. Pode ser uma alternativa para utilizar no trabalho por exemplo!
 Não vale adoçar! Adoçando há redução da absorção de fitoquímicos. Além de todos os malefícios do excesso de açúcar. Né?
 Não menos importante: chá não é água! Não é pra ser bebido a vontade! Plantas tem ação no nosso corpo! O excesso de várias delas pode prejudicar nossa saúde, interferindo no funcionamento da tireóide ou fígado por exemplo!
 E pra finalizar: chás podem ser excelentes coadjuvantes para diferentes objetivos: desinchar, reduzir gordura corporal, melhorar digestão… amo trabalhar com chás com os pacientes! Masssss não há chá que compense uma alimentação ruim! Beleza? 😉😘

Afta

Você sofre com aftas?

A causa exata das aftas não é conhecida. Mas você sabia que algumas alterações nutricionais aumentam a frequência e gravidade das aftas?

 Deficiência de nutrientes como: ferro, ácido fólico e vitamina B12 (e também outras vitaminas do complexo B) tornam as aftas mais recorrentes!

A imunidade reduzida também é fator de risco!

Por isso modular sono e estresse é fundamental!
 Alguns nutrientes podem auxiliar bastante também nesse objetivo de aumentar a imunidade, especialmente zinco e vitamina C.

Para prevenir as aftas, portanto, esses nutrientes devem ser avaliados e seu consumo aumentado via alimentação (principalmente!) ou suplementação. 😉