Sushis e sashimis: amá-los ou evitá-los?

sushi

Que sushis e sashimis são uma delícia todos concordamos! <3

Mas e nutricionalmente? É mesmo uma opção levinha e amiga em dietas de emagrecimento?

Bom, aí DEPENDE muito das suas escolhas!

Um sushi comum, encontrado na maior parte dos restaurantes japoneses, costuma conter uma porção considerável de arroz (chegando a até 75%).
O problema desse arroz é que ele é muito processado, perdendo vitaminas, minerais e fibras, que ajudam na digestão e saciedade.
Além disso, o grão é cozido não apenas em água, mas também em uma quantidade considerável de açúcar!
Ou seja: excesso de arroz refinado + açúcar = pico de glicemia (açúcar no sangue) + pico de insulina = acúmulo de gordura, especialmente abdominal!

Outro cuidado deve ser com o shoyu que geralmente contém sódio em excesso (favorece o inchaço) e glutamato monossódico, que é um conservante péssimo para a saúde associado a enxaquecas e a longo prazo a alterações cognitivas e de memória.

E obviamente, evite as opções hot, já que são fritas, contendo excesso de gordura saturada, bem como as versões com cream cheese e os sushis doces.

Pelamordedeus nutri, como faço então? 😛

– Tente iniciar com as entradinhas (saladas e missoshiro) e como prato principal priorizar sashimis (atum, salmão, peixe branco crus), peixe grelhado e legumes grelhados e temaki sem arroz.

– Evite utilizar o shoyu, mas se sentir muita necessidade procure optar por um shoyu light e preferencialmente sem glutamato monossódico (confere nos ingredientes, não é difícil de achar).

– É interessante acrescentar sempre o wasabi (raiz forte) que tem propriedades antibiótica e digestiva e o gengibre (ação antioxidante, imunoestimulante e termogênica).

Aprecie com moderação! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *