Tomate x câncer de próstata

tomate

Último dia de Novembro, quando temos a campanha “Novembro Azul”, bem a tempo de eu falar um pouquinho sobre a relação entre tomate e prevenção de câncer de próstata! Já ouviu falar?

O tomate é uma das principais fontes de licopeno (mas melancia, cereja e outros alimentos vermelhos também possuem bons níveis!) que é um poderoso antioxidante da família dos carotenoides.

Uma série de estudos associa o consumo elevado de licopeno na dieta com prevenção de diversos tipos de câncer, mas especialmente do câncer de próstata, reduzindo sua incidência em 33%!

Para aproveitar ao máximo o licopeno do tomate o melhor é cozinhá-lo e associá-lo à azeite. Ou seja: um belo molho de tomate caseiro. 😉 Nessa forma sua biodisponibilidade é bastante aumentada.

Vale lembrar que para prevenir cânceres de modo geral, incluindo o de próstata, é fundamental reduzir o excesso de peso/obesidade, ter uma alimentação rica em alimentos antiinflamatórios (como frutas, vegetais verdes, abacate, oleaginosas e chás) e consumo moderado de embutidos, produtos processados e de carnes, especialmente as vermelhas.

Agrotóxicos: quais os malefícios e como fugir?

agrotóxicos

Quanto mais estudos são publicados sobre os agrotóxicos… mais motivos temos para ficar alarmados.

Hoje consumimos no Brasil cerca de 5,2l de agrotóxicos por ano!! Por aqui temos cerca de 400 tipos de agrotóxicos registrados, sendo pelo menos 14 destes proibidos no restante do mundo!

Agrotóxicos contém uma série de substâncias estranhas ao nosso organismo cuja dose não é elevada a ponto de causar uma intoxicação aguda. Porém os sintomas da exposição prolongada aos mesmos vem com o passar dos anos.

Alguns exemplos:
– Efeitos neurotóxicos
– Déficit cognitivo
– Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade
– Asma
– Disbiose intestinal
– Obesidade
– Câncer

Além de estar presente nos alimentos in natura (frutas e verduras) está presente também nos alimentos industrializados que contém soja, trigo… também nas carnes e no leite.

A saída?
Não temos meios de higienização suficientemente bons para eliminar os agrotóxicos, portanto a alternativa é mesmo tentar consumir o máximo de alimentos orgânicos possível, especialmente com relação aos alimentos comprovadamente mais contaminados, como pimentão, tomate, morango, folhosos, abobrinha, etc.
Em feiras os produtos orgânicos já tido preços bem mais acessíveis do que há alguns anos e essas feiras tem se difundido cada vez mais! o/

Os orgânicos tem ainda a grande vantagem de serem mais nutritivos. Por terem que se defender das agressões do meio sozinhos (sem o auxílio dos agrotóxicos) acabam produzindo mais antioxidantes como flavonóides, ácidos fenólicos, vitaminas C e E, beneficiando mais a nossa saúde.

Mas e o que não consigo comer orgânico?
Na minha humilde opinião? Sem neura! Coma assim mesmo! As frutas por exemplo são cheias de vitaminas e minerais, não são apenas agrotóxicos. Então muito melhor optar por frutas e sucos não orgânicos que por bolachas artificiais ou sucos de pacote!!