Magro = Saudável?

O nosso vídeo da semana tem como objetivo responder a seguinte pergunta: ser magro é ser saudável? E mais: dá pra ser gordinho e saudável também? Confere no vídeo!

Obeso e saudável: será?

Já vi essa cena acontecer milhares de vezes: a criatura o paciente com obesidade vai – forçadamente – realizar exames médicos.

Ao ter como resultado um “está tudo bem com você” a família – geralmente esposa – nunca mais consegue incentivar essa pessoa – geralmente homem que não está afim MESMO de se cuidar – a melhorar seus hábitos de vida.

É ou não é?

– Eu sou saudável! O doutor acabou de dizer! 😀

Aff como mulher sofre! 😛

Mas e aí? Será que dá pra ser gordinho E saudável? Ou essa combinação é uma utopia?

obesidade

Sinto lhes desapontar… mas é uma utopia!

Mesmo que – ainda – não apareçam alterações nos exames de sangue tradicionais acredite, elas já estão ocorrendo!

É que o tecido gorduroso, ao contrário do que se pensava há alguns anos, não é simplesmente um depósito inerte de energia e isolante térmico.
Hoje ele é reconhecido como um tecido metabolicamente ativo.

O tecido adiposo – quando em excesso – leva a um estado de inflamação crônica de baixa intensidade. Essa inflamação está associada a hipóxia (falta de oxigênio) que o tecido adiposo sofre quando em expansão.

E por sua vez, essa inflamação afeta o metabolismo como um todo, aumentando a probabilidade de em breve se desenvolver resistência insulínica, diabetes mellitus, hipertensão arterial, dislipidemia, aterosclerose e outras doenças cardiovasculares; além de… promover obesidade.

Ou seja: ser obeso te deixa inflamado e ser inflamado te deixa obeso!

Quando a maior parte dessa gordura é visceral (localizada entre os órgãos – característico de pessoas com abdome grande e endurecido) o risco é ainda maior.
Esse tipo de gordura comprime os órgãos e facilita sintomas de má digestão como azia e refluxo, além de gerar ainda mais inflamação que a gordura subcutânea (aquela mais “molinha”) e está ainda associada a menor produção de hormônios responsáveis pela saciedade.

Então é guerra a toda e qualquer gordura corporal?

Na verdade uma porcentagem de gordura muito baixa não é interessante.
Um pouco de gordura corporal se faz necessária para servir de estoque energético em períodos de jejum prolongado.
Níveis muito baixos em mulheres estão associados ainda a redução de estrogênio, levando a amenorreia (redução ou ausência de menstruação) e redução da fertilidade, mas esse processo geralmente é reversível.

Resumindo: está acima do peso e quer SAÚDE de verdade?
PRECISA reduzir cordura corporal e circunferência abdominal! 😉
Procure um nutricionista para que esse processo seja o menos sofrido e mais resolutivo possível!