Bolo de pão de mel

Cheirinho de final de semana combina com… cheirinho de bolo no ar! Ê delícia! <3

Bolo de pão de mel
– 3 ovos
– 1/2 xícara de chá de óleo (boa opção: de coco extra-virgem)
– 1 xícara de mel
– 2 cenouras descascadas e picadas
– 1 xícara de farinha de trigo integral
– 1 xícara de farelo de aveia
– 1/2 colher de sopa de fermento em pó

Modo de preparo:
Bata os ovos, mel, cenoura e óleo no liquidificador. Misture numa tigela a farinha, a aveia, o fermento e acrescente a mistura de líquidos até ficar homogêneo. Asse em forno pré-aquecido a 180 graus por 30 minutos ou até passar no teste do palito.

Cobertura:
– 180g de chocolate amargo (usei o 70% cacau)
– 4 colheres de sopa de mel
– 4 colheres de sopa de leite (usei leite de amêndoas)

Modo de preparo:
Em uma tigelinha leve o chocolate ao micro-ondas em potência média por 1 minuto e meio, retire, mexa com uma espátula e se preciso for, deixe mais 30 segundo até derreter por completo. Misture os demais ingredientes até virar uma mistura brilhante e homogênea e coloque sobre o bolo desenformado.

Bolo de pão de mel
Obs: Fiz em forma de cupcakes mas rende bastante massa, tive que completar em outra forma! 😛 Indico testar em forma de furo no meio! 😉

Mas testem heim! Fica divinoooooo!!

Açúcar: quando introduzir?

açúcar criança

Mais um tema polêmico! Essa pergunta veio como dúvida de um seguidor e sei que é a dúvida de muitos pais!

De acordo com a OMS as crianças só devem “conhecer” o açúcar após os 2 anos de idade!
O próprio mel também não deve ser utilizado no dia a dia e nunca introduzido antes de 1 ano por risco de contaminação por botulismo.

“Meu Deus nutri, tu tá louca! Que radicalismo! Coitada da criança”. 😛

Bom, há motivos pra essa orientação! Esses primeiros anos são o início de formação do paladar da criança. É altíssima a frequência de crianças que, por receberem açúcar precocemente, tem o seu paladar modificado, ficando muito mais seletivas com relação aos alimentos que consomem e perdendo completamente o interesse em frutas e verduras.

Vamos combinar que um chocolate é bem mais atrativo que uma maçã, não é? 😉

E junto com essa predileção por doces vem um pacote: baixa ingestão de alimentos nutritivos com quadro de deficiência de nutrientes (a anemia é uma das mais comuns), obesidade infantil, diabetes, colesterol elevado, dentre outras.

“E não faz falta pra criança esse açúcar?”
Não! O açúcar faz parte do grupo dos carboidratos, que tem importante função na produção de energia. Porém encontramos muitas opções melhores que compõem esse grupo, com mais nutrientes e liberação gradual de açúcar, como: batata doce, aipim, mandioquinha, arroz, frutas, abóbora, cenoura, aveia e por aí vai.

“E a criança vai passar vontade, coitada?”
A criança não sofre se não come aquilo que não conhece!! A criança não sente necessidade de colocar “um pouquinho de açúcar porque a laranja tá meio ácida” se ela não conhece a laranja adocicada. Porém se você colocar em um dia, no dia seguinte ela vai estranhar o sabor azedinho.

Deu pra compreender? O paladar dela é moldável e quanto mais ofertamos o alimento em sua forma natural e usamos o doce naturalmente presente nas próprias frutas, mais natural vai ser pra ela comer o alimento dessa forma.

Fundamental também se você quer que o seu filho coma bem, é que você (e seu marido/esposa ou quem mais for cuidador) coma bem!

Tem uma frase ótima que vale para essa e outras situações da vida: “A palavra convence, mas o exemplo ARRASTA”. 😉

Fontes de triptofano: melhora do bom humor e sono

serotonina

No último post eu citei um exemplo de ceia interessante para modular serotonina e melatonina.

Mas há outros alimentos que também são fontes de triptofano e portanto também possuem essa ação, que é benéfica não só por auxiliar a ter um sono de qualidade mas também por auxiliar a ter bom humor e a reduzir aquela vontade de consumir doces. Boa ação da nossa querida serotonina! <3

Esses alimentos são interessantes como ceia, mas também em outros horários, especialmente quando temos menos bom humor, mais sonolência e mais vontade de doces.
Um exemplo bem comum de horário em que tudo isso acontece ao mesmo tempo para a maioria das pessoas? O período da tarde! É ou não é?

Vão alguns exemplos interessantes de alimentos a serem incluídos:
– Cereais como: aveia, quinoa, amaranto;
– Sementes de gergelim e de girassol;
– Banana;
– Cacau (olha o chocolate amargo aí <3 );
– Ovo;
– Banana;
– Chá verde e chá preto (esses não a noite por terem também cafeína).

Com essas opções dá pra montar várias refeições legais, como banana amassada com cacau e aveia; mousse de abacate com cacau e mel; panqueca de banana (que já mostrei por aqui), mingau de aveia e por aí vai! 😉

Ceia com sabor e saúde

abacate

Abacate + 1 fio de mel + aveia = sono tranquilo. <3

Essa combinação fornece ao nosso corpo triptofano que é um aminoácido precursor da serotonina – hormônio associado a prazer e a bem estar – e que por sua vez é precursor de melatonina – hormônio fundamental na indução e qualidade do sono.

O mel e a aveia fornecem ainda carboidratos, que vão auxiliar na absorção de triptofano e o abacate gorduras boas que vão dar saciedade, também ajudando no sono tranquilo. 😉

Boa noite!

Panqueca de banana e aveia

Panqueca super fácil de fazer e fica uma delícia! Pode ser uma boa opção para o seu café da manhã ou pré treino. 😉

panqueca de banana

Ingredientes:
– 1 banana madura amassada
– 1 colher de sopa de aveia (farelo ou flocos)
– 1 ovo caipira
– Canela à gosto (opcional)
– Óleo de coco para untar

Preparo:
Misture bem os ingredientes e leve para a frigideira untada com o óleo de coco até atingir o ponto.
Sirva com os acompanhamentos de sua preferência.
Dessa vez fui de banana, mel e oleaginosas.

Chocochia pudding

É ou não uma excelente opção para se animar com a reeducação alimentar?

E de quebra é uma deliciosa forma de utilizar a chia: fonte de gorduras do tipo ômega 3, minerais como ferro e cálcio e excelente fonte de fibras que a tornam uma opção especialmente promotora de saciedade! Sempre bom né? 😉

Chocochia pudding

Chocochia pudding

Ingredientes:
– 1 xícara de leite de coco caseiro
– 3 colheres de sopa de chia
– 1 colher de sopa de cacau em pó
– 1 colher de sopa de coco ralado sem açúcar
– 2 colheres de chá de mel
– 1 kiwi

Modo de preparo:
Dissolva o cacau no leite de coco, acrescente a chia, o mel e o coco ralado e deixe de um dia para o outro na geladeira! Ao acordar pique o kiwi ou a fruta de sua preferência.
Esse da foto eu fiz para comer em casa mas se fizer em um pote fechado dá tranquilamente para ser levado ao serviço como opção de lanche! 😉

Mousse de manga com chia

Ripe appetizing mango isolated on white

A manga, assim como todas as frutas/verduras alaranjados, é rica em betacaroteno o qual é transformado em vitamina A no corpo e é indispensável para a visão e saúde da pele. Interessante ainda para garantir aquele bronze no verão!

A manga é fonte ainda de vitamina C, potássio, vitaminas do complexo B, magnésio, zinco e fibras solúveis.

Que tal aproveitar essas vantagens e preparar um mousse de manga com chia delicioso e sem lactose?

Mousse de manga

Ingredientes:
– 1 manga grande ou 2 pequenas bem maduras
– 1 vidro pequeno de leite de coco
– 2 colheres de sopa de chia hidratada (deixar de molho na água de um dia para o outro)
– 1 laranja
– 1 colher de sobremesa de mel
Modo de Preparo:
Liquidificar tudo e colocar na geladeira ou no congelador, se quiser tipo picolé.

Delicinha de sobremesa ou como lanche da tarde! 😉

Adoçantes – usá-los ou não, eis a questão

Cuidado com os adoçantes

adoçantes

Me respondam essa:
– Quando queremos nos cuidar e perder um pouco de peso a primeira mudança que devemos fazer na alimentação é tirar o açúcar e começar a utilizar adoçante, certo?

ERRADO!

Existem vários estudos que associam o consumo a longo prazo de adoçantes com o GANHO de peso! Sabiam? Existem diferentes teorias que explicam esse efeito.

Uma delas é que os adoçantes (ou edulcorantes) artificiais são substâncias estranhas ao nosso organismo e por esse motivo se acumulam de forma tóxica em nosso tecido de gordura, dificultando a quebra da gordura estocada.

Além disso, ao sentirmos o paladar doce ao ingerir algum alimento com adoçante o nosso intestino ativa receptores para absorver ao máximo os carboidratos da refeição, produzindo mais insulina, o que gera um maior acúmulo de gordura corporal, especialmente na região abdominal.

Outro problema é que ao dar adoçante para o seu corpo você não supre a necessidade do seu cérebro, que fica esperando pelo açúcar. Por isso muitas vezes quem consome adoçantes em excesso acaba sentindo mais vontade de usar alimentos com açúcar, como chocolates, bolos, etc.
E aí lá se foi a pequena economia de calorias que você fez com o adoçante!

Por último, é comum as pessoas acharem que por estarem utilizando adoçante ou alimentos light podem comer o alimento à vontade, pois ele não irá engordar! E com isso ocorrem os excessos alimentares.

O que eu faço então?

Se você é diabético ou precisa de uma restrição mais rígida de carboidratos a melhor opção parece ser o stévia, que é um adoçante natural, extraído a partir de uma planta.

Já se o seu caso não é esse e seu objetivo é apenas emagrecer pode ser interessante fazer uma espécie de rodízio de açúcares, ingerindo açúcar demerara, açúcar mascavo, mel, xarope de agave ou açúcar de coco.

E sempre que possível não adoce com nada! Aos poucos o seu paladar vai se adaptando e a sua necessidade de adoçar os alimentos vai se tornando bem menor.