Bolo de Banana e Coco sem açúcar

Bóra aproveitar o final de semana pra preparar um bolinho? 
Esse é um bolo sem açúcar. Sendo assim, só recomendo se você já tiver um paladar bem adaptado a doces pouco doces ou se tiver bebê em introdução alimentar por aí! 

Aqui mamãe e bebê aprovaram… e o papai não curtiu! 😂😂

 Bolo de banana e coco sem açúcar

bolo de banana e coco sem açúcar
 Ingredientes:
 2 bananas bem maduras
 4 colheres de sopa de aveia em flocos
 4 colheres de sopa de farinha de coco
 4 colheres de sopa de coco ralado sem açúcar (usei o resíduo do preparo do leite de coco)
 1/2 xícara de leite de coco (usei o caseiro)
 1/2 xícara de óleo de coco (usei um pouco menos)
 4 ovos
 2 colheres de sopa (rasas) de fermento em pó

 Preparo:
Liquidifique todos os ingredientes, com exceção do fermento. Acrescente o fermento e misture ou liquidifique brevemente. Asse em forma de furo no meio untada com óleo de coco e farinha de coco a 180o.C por cerca de 40 minutos ou até o palito sair limpo. 

Introdução alimentar

Chegamos aos 6 meses da minha pequena com sucesso no Aleitamento materno exclusivo! 😍
Agora o desafio é a Introdução alimentar! 
E que desafio! 

Pra quem vai passar em breve por essa fase trago algumas dicas /informações:
 Se você optar por uma introdução alimentar tradicional, com papinhas… mesmo assim procure deixar também a criança pegar o alimento com a mão, experimentar algum pedaço mais inteiro… isso ajuda bastante na coordenação e no interesse na refeição.
 Ofereça orgânicos sempre que possível!
 Esqueça o seu paladar! Esqueça que você não gosta de morango ou que só come abacate com açúcar. A criança nunca provou esses alimentos então os ofereça puros! Aliás, não ofereça açúcar nunca (ideal até 2 anos!)
 O sal também não deve ser adicionado, pelo menos até os 9 meses. Mas temperos naturais podem e devem ser utilizados.
 Evite usar liquidificador, peneira ou sair misturando tudo. O objetivo na introdução alimentar não é a criança engolir tudo simplesmente. É conhecer os alimentos e iniciar uma boa relação com a alimentação saudável!
 Controle a sua ansiedade (essa eu repito aqui pra mim também 😂😂)! Seu filho passou 6 meses apenas bebendo leite. É natural estranhar sabores e consistências tão diferentes e o processo ser lento é normal e esperado!
 O leite materno (ou a fórmula) continua sendo o principal alimento até 1 ano.
 Compartilha com os papais de bebês! 😘

Bia melancia

Iogurte de inhame

iogurte de inhame

Testando (e aprovando) receita nova por aqui! 👏
Opção ótima pra quem quer um “iogurte” saudável mas não pode ou evita leite e PERFEITA pra introdução alimentar dos pequenos, já que até 1 ano leite e derivados são contra indicados. 

 Iogurte de inhame
Ingredientes:
2 inhames médios cozidos
 1 manga bem docinha ou a fruta da sua preferência

 Preparo:
Liquidifica e leva pra geladeira.

Difícil né? 
Como o inhame é bem coringa, praticamente não tem sabor… o sabor do iogurte é o sabor da fruta mesmo, com uma consistência mara! 

Introdução alimentar

mucilon

Ai como dói o coração da nutri! 😵 👉Entenda que quanto mais você ofertar opções excessivamente doces desde o início da introdução alimentar do seu filho, maior vai ser a rejeição dele aos doces naturais, como o presente nas frutas, que são muito menos doces.

👉Porque ofertar alimentos que não são saudáveis quando você é a única responsável pela introdução alimentar do seu filho? Faz sentido?

👉Comece essa fase com o pé direito, oferecendo os alimentos em sua forma natural sem adoçar e sem salgar excessivamente. Procure variar o máximo possível os alimentos ofertados e repita a oferta mesmo que haja rejeição ao experimentar pela primeira vez.
Uma criança deve experimentar um alimento cerca de 7 a 8 vezes antes de afirmamos que ele realmente não gosta daquele alimento!

👉Quanto maior o estímulo nessa fase, mais saudável será o desenvolvimento do seu filho, mais doenças da vida adulta estarão sendo prevenidas e será mais fácil de o seu filho aprender e se habituar com bons hábitos alimentares.

👉Porém, vale lembrar que logo ele cresce e te observa! Se o seu hábito não for saudável pouco vai adiantar fazer um discurso sobre alimentação saudável enquanto você come besteira! Ele vai querer comer o mesmo que você! 😉

Dá trabalho, não é simples, exige paciência e persistência… mas saúde é o maior investimento que você pode fazer na vida do seu filho.

Açúcar: quando introduzir?

açúcar criança

Mais um tema polêmico! Essa pergunta veio como dúvida de um seguidor e sei que é a dúvida de muitos pais!

De acordo com a OMS as crianças só devem “conhecer” o açúcar após os 2 anos de idade!
O próprio mel também não deve ser utilizado no dia a dia e nunca introduzido antes de 1 ano por risco de contaminação por botulismo.

“Meu Deus nutri, tu tá louca! Que radicalismo! Coitada da criança”. 😛

Bom, há motivos pra essa orientação! Esses primeiros anos são o início de formação do paladar da criança. É altíssima a frequência de crianças que, por receberem açúcar precocemente, tem o seu paladar modificado, ficando muito mais seletivas com relação aos alimentos que consomem e perdendo completamente o interesse em frutas e verduras.

Vamos combinar que um chocolate é bem mais atrativo que uma maçã, não é? 😉

E junto com essa predileção por doces vem um pacote: baixa ingestão de alimentos nutritivos com quadro de deficiência de nutrientes (a anemia é uma das mais comuns), obesidade infantil, diabetes, colesterol elevado, dentre outras.

“E não faz falta pra criança esse açúcar?”
Não! O açúcar faz parte do grupo dos carboidratos, que tem importante função na produção de energia. Porém encontramos muitas opções melhores que compõem esse grupo, com mais nutrientes e liberação gradual de açúcar, como: batata doce, aipim, mandioquinha, arroz, frutas, abóbora, cenoura, aveia e por aí vai.

“E a criança vai passar vontade, coitada?”
A criança não sofre se não come aquilo que não conhece!! A criança não sente necessidade de colocar “um pouquinho de açúcar porque a laranja tá meio ácida” se ela não conhece a laranja adocicada. Porém se você colocar em um dia, no dia seguinte ela vai estranhar o sabor azedinho.

Deu pra compreender? O paladar dela é moldável e quanto mais ofertamos o alimento em sua forma natural e usamos o doce naturalmente presente nas próprias frutas, mais natural vai ser pra ela comer o alimento dessa forma.

Fundamental também se você quer que o seu filho coma bem, é que você (e seu marido/esposa ou quem mais for cuidador) coma bem!

Tem uma frase ótima que vale para essa e outras situações da vida: “A palavra convence, mas o exemplo ARRASTA”. 😉