Açúcar antes dos 2 anos?

Hoje vou contar algo não politicamente (ou nutricionalmente mesmo 🤔) correto e que pouca gente sabe: Eu já dei açúcar pra minha filha!
Sim, antes dos dois anos, que é a recomendação oficial da OMS (Organização Mundial da Saúde)!

Não quero falar mal das recomendações oficiais e nem te incentivar a dar açúcar pro teu filho que tem menos de 2 anos. Só te fazer pensar e compartilhar um pouco do que acredito.

Acredito muito na seguinte frase: “O exemplo não é uma forma de ensinar. É a única!” 🙏

Não me vejo dando fruta pra ela e me acabando no chocolate branco. 😂Por isso, procuro – o máximo possível, claro -manter uma alimentação legal pra que a alimentação dela seja a alimentação da família (que, aliás, é a recomendação a partir de 1 ano).

Sendo assim, rolam exceções com açúcar na alimentação da família e, consequentemente, algumas dessas vezes também na alimentação dela: já teve sorvete artesanal, bolo de festa e, com mais frequência, chocolate 70% cacau e bolinhos integrais com açúcar mascavo ou de coco. Que eu também como mais. Pra ela sempre porções bem pequenas. 😝😂

E ela PRECISAVA comer essas coisas? Não. Mas faz mal dar isso tão eventualmente? Eu penso que Não! Apesar de ela estar em fase de formação de paladar, ela não tem acesso a esses alimentos no dia a dia. Portanto a rotina segue: frutas, ovo, iogurte natural com fruta, legumes, arroz, feijão… e leite materno são a base por aqui.

Já vi TANTOS casos em que dar um pedacinho de chocolate ou bolo era um super tabu mas a “bolacha da vaquinha” era normal! 🙈 Você também deve conhecer!

 Portanto:
Leia a lista de ingredientes, ofereça alimentos diferentes, priorize os alimentos in natura, continue oferecendo de outras formas as frutas e verduras que seu filho rejeita… mas, não surte com exceções.
Seu filho vai comer o que estiver disponível para ele comer! Foque – continuamente – nos bons hábitos da família! 🙏😘

 Me conta: você concorda comigo ou discorda? 😉

Introdução Alimentar: 1 ano

O seu bebê fez 1 ano (como a minha)? Veja as novidades alimentares importantes dessa fase! 

Introdução Alimentar: dos 8 aos 10 meses.

Há 2 meses gravei um vídeo falando sobre o começo da introdução alimentar, com a minha filha Beatriz, e prometi dar mais notícias aos 10 meses. Posso adiantar que as coisas estão melhorando! \o/ Confere no vídeo mais detalhes e dicas para quem está passando (ou vai passar) por essa fase tão importante.

 

Introdução Alimentar

O vídeo da semana tem participação especial! Gravei um vídeo com a Beatriz – minha filha – contando como está o nosso processo de introdução alimentar, dos 6 aos 8 meses. Quer saber mais ou conhece alguém passando ou que vai passar em breve por essa fase? Confere no vídeo então!
Ah, e não vale se distrair com as fofurices da minha filha. Presta atenção em mim!  haha

Bolo de Banana e Coco sem açúcar

Bóra aproveitar o final de semana pra preparar um bolinho? 
Esse é um bolo sem açúcar. Sendo assim, só recomendo se você já tiver um paladar bem adaptado a doces pouco doces ou se tiver bebê em introdução alimentar por aí! 

Aqui mamãe e bebê aprovaram… e o papai não curtiu! 😂😂

 Bolo de banana e coco sem açúcar

bolo de banana e coco sem açúcar
 Ingredientes:
 2 bananas bem maduras
 4 colheres de sopa de aveia em flocos
 4 colheres de sopa de farinha de coco
 4 colheres de sopa de coco ralado sem açúcar (usei o resíduo do preparo do leite de coco)
 1/2 xícara de leite de coco (usei o caseiro)
 1/2 xícara de óleo de coco (usei um pouco menos)
 4 ovos
 2 colheres de sopa (rasas) de fermento em pó

 Preparo:
Liquidifique todos os ingredientes, com exceção do fermento. Acrescente o fermento e misture ou liquidifique brevemente. Asse em forma de furo no meio untada com óleo de coco e farinha de coco a 180o.C por cerca de 40 minutos ou até o palito sair limpo. 

Introdução alimentar

Chegamos aos 6 meses da minha pequena com sucesso no Aleitamento materno exclusivo! 😍
Agora o desafio é a Introdução alimentar! 
E que desafio! 

Pra quem vai passar em breve por essa fase trago algumas dicas /informações:
 Se você optar por uma introdução alimentar tradicional, com papinhas… mesmo assim procure deixar também a criança pegar o alimento com a mão, experimentar algum pedaço mais inteiro… isso ajuda bastante na coordenação e no interesse na refeição.
 Ofereça orgânicos sempre que possível!
 Esqueça o seu paladar! Esqueça que você não gosta de morango ou que só come abacate com açúcar. A criança nunca provou esses alimentos então os ofereça puros! Aliás, não ofereça açúcar nunca (ideal até 2 anos!)
 O sal também não deve ser adicionado, pelo menos até os 9 meses. Mas temperos naturais podem e devem ser utilizados.
 Evite usar liquidificador, peneira ou sair misturando tudo. O objetivo na introdução alimentar não é a criança engolir tudo simplesmente. É conhecer os alimentos e iniciar uma boa relação com a alimentação saudável!
 Controle a sua ansiedade (essa eu repito aqui pra mim também 😂😂)! Seu filho passou 6 meses apenas bebendo leite. É natural estranhar sabores e consistências tão diferentes e o processo ser lento é normal e esperado!
 O leite materno (ou a fórmula) continua sendo o principal alimento até 1 ano.
 Compartilha com os papais de bebês! 😘

Bia melancia

Iogurte de inhame

iogurte de inhame

Testando (e aprovando) receita nova por aqui! 👏
Opção ótima pra quem quer um “iogurte” saudável mas não pode ou evita leite e PERFEITA pra introdução alimentar dos pequenos, já que até 1 ano leite e derivados são contra indicados. 

 Iogurte de inhame
Ingredientes:
2 inhames médios cozidos
 1 manga bem docinha ou a fruta da sua preferência

 Preparo:
Liquidifica e leva pra geladeira.

Difícil né? 
Como o inhame é bem coringa, praticamente não tem sabor… o sabor do iogurte é o sabor da fruta mesmo, com uma consistência mara! 

Introdução alimentar

mucilon

Ai como dói o coração da nutri! 😵 👉Entenda que quanto mais você ofertar opções excessivamente doces desde o início da introdução alimentar do seu filho, maior vai ser a rejeição dele aos doces naturais, como o presente nas frutas, que são muito menos doces.

👉Porque ofertar alimentos que não são saudáveis quando você é a única responsável pela introdução alimentar do seu filho? Faz sentido?

👉Comece essa fase com o pé direito, oferecendo os alimentos em sua forma natural sem adoçar e sem salgar excessivamente. Procure variar o máximo possível os alimentos ofertados e repita a oferta mesmo que haja rejeição ao experimentar pela primeira vez.
Uma criança deve experimentar um alimento cerca de 7 a 8 vezes antes de afirmamos que ele realmente não gosta daquele alimento!

👉Quanto maior o estímulo nessa fase, mais saudável será o desenvolvimento do seu filho, mais doenças da vida adulta estarão sendo prevenidas e será mais fácil de o seu filho aprender e se habituar com bons hábitos alimentares.

👉Porém, vale lembrar que logo ele cresce e te observa! Se o seu hábito não for saudável pouco vai adiantar fazer um discurso sobre alimentação saudável enquanto você come besteira! Ele vai querer comer o mesmo que você! 😉

Dá trabalho, não é simples, exige paciência e persistência… mas saúde é o maior investimento que você pode fazer na vida do seu filho.

Açúcar: quando introduzir?

açúcar criança

Mais um tema polêmico! Essa pergunta veio como dúvida de um seguidor e sei que é a dúvida de muitos pais!

De acordo com a OMS as crianças só devem “conhecer” o açúcar após os 2 anos de idade!
O próprio mel também não deve ser utilizado no dia a dia e nunca introduzido antes de 1 ano por risco de contaminação por botulismo.

“Meu Deus nutri, tu tá louca! Que radicalismo! Coitada da criança”. 😛

Bom, há motivos pra essa orientação! Esses primeiros anos são o início de formação do paladar da criança. É altíssima a frequência de crianças que, por receberem açúcar precocemente, tem o seu paladar modificado, ficando muito mais seletivas com relação aos alimentos que consomem e perdendo completamente o interesse em frutas e verduras.

Vamos combinar que um chocolate é bem mais atrativo que uma maçã, não é? 😉

E junto com essa predileção por doces vem um pacote: baixa ingestão de alimentos nutritivos com quadro de deficiência de nutrientes (a anemia é uma das mais comuns), obesidade infantil, diabetes, colesterol elevado, dentre outras.

“E não faz falta pra criança esse açúcar?”
Não! O açúcar faz parte do grupo dos carboidratos, que tem importante função na produção de energia. Porém encontramos muitas opções melhores que compõem esse grupo, com mais nutrientes e liberação gradual de açúcar, como: batata doce, aipim, mandioquinha, arroz, frutas, abóbora, cenoura, aveia e por aí vai.

“E a criança vai passar vontade, coitada?”
A criança não sofre se não come aquilo que não conhece!! A criança não sente necessidade de colocar “um pouquinho de açúcar porque a laranja tá meio ácida” se ela não conhece a laranja adocicada. Porém se você colocar em um dia, no dia seguinte ela vai estranhar o sabor azedinho.

Deu pra compreender? O paladar dela é moldável e quanto mais ofertamos o alimento em sua forma natural e usamos o doce naturalmente presente nas próprias frutas, mais natural vai ser pra ela comer o alimento dessa forma.

Fundamental também se você quer que o seu filho coma bem, é que você (e seu marido/esposa ou quem mais for cuidador) coma bem!

Tem uma frase ótima que vale para essa e outras situações da vida: “A palavra convence, mas o exemplo ARRASTA”. 😉