Ovo: como consumir

Sabe a melhor forma de consumir ovo?
 Vamos pensar aqui na melhor forma de manter a biodisponibilidade de alguns nutrientes.
No caso do ovo há formas que mantemos mais ou perdemos a Luteína e a Zeaxantina, que são carotenóides presentes na gema e com importante função, especialmente, para a nossa visão.
 Quanto mais inteira a gema, mais preservados esses nutrientes (além de todos os outros). Assim, os ovos mexidos seriam a pior versão para esse objetivo.
 Priorize portanto: ovo frito mantendo a gema ligeiramente mole (vale “fritar” na água ou em bom óleo, como um azeite de oliva extra-virgem) ou ovo cozido por pouco tempo (5 minutos após fervura da água é o ideal).
 Risco de salmonela é mínimo (pra não dizer nulo) em ovos do tipo caipira. 

ovo

Gema: por que não excluí-la?

gema

Vocês jogam fora a gema do ovo daí… e eu sofro daqui! Pobre gema! 🙁

É na gema do ovo que se concentram os principais nutrientes e propriedades do ovo, como por exemplo:
– Se concentram na gema peptídeos com ação inibitória sobre a enzima de conversão de angiotensina 1 (ECA), promovendo vasodilatação e controle da pressão arterial;
– É fonte de colina, nutriente importante para memória e concentração, além de ser precursor de betaína, outro nutriente fundamental para redução de gordura hepática, estresse oxidativo e inflamação;
– É fonte de zeaxantinas, que possuem ação na destoxificação;
– Fonte também de lecitina que dificulta a absorção de colesterol no intestino;
– Efeito de redução na inflamação do adipócito (células de gordura), fundamental para o emagrecimento!
– Fonte de vitaminas A e D (especialmente ovos de galinhas caipira).

A forma de consumo do ovo com maior aproveitamento de seus nutrientes é cozido e por um período mais curto, mantendo a gema ainda ligeiramente mole.
Outra estratégia para manter um bom perfil antioxidante pode ser acrescentar temperos que também possuem esse perfil, como açafrão ou orégano. 😉