Panqueca de coco low carb

Ótima panqueca para quem busca reduzir os carboidratos na dieta ou simplesmente variar a alimentação com uma opção saudável e bem saborosa.
A farinha de coco contém um teor de fibras bastante elevado e o coco ralado além de fonte de fibras é fonte de gorduras boas. Tal combinação promove saciedade e regula os níveis de insulina no sangue, auxiliando também no controle do peso corporal!

panqueca de coco

Ingredientes:
– 1 ovo caipira grande
– 1 colher de sopa de farinha de coco
– 1 colher de sopa de coco ralado sem açúcar

Preparo:
Misturar os ingredientes e levar a uma frigideira anti-aderente untada com óleo de coco ou azeite de oliva extra-virgem.
Para acompanhar fui de geleia 100% fruta de damasco.

Colesterol alto?

Fez exame de sangue e seus níveis de colesterol estão altos?

Basta então reduzir as fontes de colesterol da alimentação (ovo, gorduras animais, etc.) certo?

E se eu disser que NÃO?
Que na maioria dos casos a origem do colesterol elevado é outra e essa conduta antiga e simplista não traz bons resultados? Ao se restringir demais o colesterol alimentar na verdade o efeito é o oposto: aumento da produção de colesterol e triglicerídeos pelo seu corpo!

O colesterol é formado a partir da sobra de acetil-coa, cuja principal origem é o piruvato (o qual vem da glicose, dos carboidratos) e da frutose!

Ou seja: o nosso colesterol aumenta principalmente pelo excesso de carboidratos na alimentação, que é uma característica tão comum na alimentação da maioria das pessoas – muitos pães, bolos, biscoitos, açúcar, refrigerantes, sucos prontos, etc.

carboidratos

Isso não significa que os carboidratos sejam vilões e devam ser excluídos da alimentação viu?
Longe disso!
Os carboidratos são nossa principal fonte de energia e devem fazer parte de uma alimentação saudável, porém com equilíbrio quantitativo (compondo cerca de 50% da proporção com os demais macronutrientes para a maioria das pessoas) e qualitativo (com predomínio de carboidratos integrais em detrimento aos refinados – que formam açúcar muito mais rápido e facilitam esse acúmulo como gordura).

Excesso de proteína ou de gordura alimentar podem também formar acetil-coa e consequentemente aumentar colesterol, mas é menos comum.

Vale lembrar que álcool em excesso eleva também os níveis de colesterol já que forma acetato que também aumenta acetil-coa!

Importante destacar também que o colesterol não é um vilão como se pensa. Ele é fundamental para a produção dos nossos hormônios e para a vida. Os níveis hoje recomendados pela Associação de Cardiologia tem inclusive sido alvo de discussão entre muitos médicos.

Antes de partir para o uso de medicações para controlar seus níveis de colesterol (que aliás estão associadas com uma série de riscos à saúde – assunto pra outro post) mude seus hábitos!
Converse com seu nutricionista que irá adequar a proporção dos macronutrientes (carboidratos/proteínas/lipídios) na sua alimentação e melhorar a qualidade das opções.