Amamentação x Exterogestação

Também acho que contribuiu aqui pra nossa amamentação considerar a teoria da exterogestação. Já ouviu falar?

Bia banho
 Essa teoria considera que o bebê humano seria “prematuro” ao nascer, aos 9 meses, já que, ao contrário de outros animais, não nasce andando e é dependente dos seus cuidadores para a sobrevivência. Teoricamente a gestação humana deveria durar pelo menos 12 meses, o que não seria possível pelo crescimento da cabeça do bebê que impediria o parto normal.
 Assim, se recomenda que nos primeiros meses de vida tentemos “imitar” ao máximo o ambiente intra-uterino para adaptar aos poucos o bebê à vida aqui fora. A ideia seria seguir algumas medidas como : contenção (sling, charutinho, ninho, banho de balde), barulho (sim de shhhh, secador de cabelo, batidas do coração), calor humano (muito colo, sem neura de deixar mimado – ai que delícia! Curte o colinho e deixa pra se preocupar com isso depois! 😝) e alimentação à vontade, a famosa livre demanda.
 A livre demanda propõe continuar o que o bebê tinha dentro do útero: alimentação à vontade. Disponível sempre que tiver fome e pelo tempo que o bebê quiser. A ideia é esquecer completamente o relógio e não seguir horários rígidos de intervalo entre as mamadas ou tempo de mamada.
 Tem algo de libertador? Sim, bastante! Tem algo de cansativo? Sim, bastante também! 
 É a única forma de amamentar? Claro que não! Mas além das vantagens para o bebê, temos benefício para a continuidade do aleitamento materno também. Afinal quanto mais deixamos o bebê sugar, maior a nossa produção de leite!
 Quem já amamentou ou amamenta ainda? Seguia/segue livre demanda ou estipulou horários? Como foi a experiência? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *